Aonde começa a educação financeira?

Durante todo esse tempo que venho estudando e trabalhando como coach e planejadora financeira, percebi que muitos relatos ocorrem na infância. O que me chamou atenção e de certa forma me impulsionou a estudar comportamento financeiro, psicologia positiva e neurociência.

Nossa vida financeira hoje está diretamente ligada com fatos e comportamentos que observamos e vivemos na infância com os nossos pais ou com pessoais próximas que nos influenciaram. Isso fica bem claro, no livro ‘Pai rico e Pai pobre’ – O livro narra o pai biológico, que era pobre, professor de uma universidade e que só tinha dinheiro para pagar as contas. E o outro pai, o rico, que tinha apenas estudos até a 5ª série, empreendia e que ensinara seu filho a lidar com o dinheiro. Eu li o livro já adulta e percebi que não fui ensinada a empreender na vida.

O importante nessa negociação é você fazer o acordo com parcelas que cabem no seu bolso, e sei que é ruim ficar nessa situação, porém para sair dela é preciso ter um pouco de paciência, por isso, o valor da parcela deve caber no seu bolso, de nada adianta renegociar com o valor da parcela com o valor que irá fazer seu orçamento ficar injetado, por qualquer dificuldade que você atrase essa parcela virará uma bola de neve.

Com isso, o ensinamento que tive pelo exemplo, foi o de que era preciso poupar na caderneta de poupança e que isso era um investimento. Hoje sei que não. Por conta disso, cometi erros financeiros, e na prática aprendi com eles e me fortaleci. Veja mais no vídeo que eu conto sobre este assunto.

Um dia conversando com meu pai, eu já estava engajada no planejamento financeiro e deixado a engenharia de lado, eu expliquei que ele poderia aplicar uma parte do dinheiro dele, para que pudesse ter uma rentabilidade acima da inflação. Ele me respondeu que tinha medo, mas sabe porquê? Porque ele não entendia sobre o assunto.

Sempre temos medo do que não conhecemos.

Essas informações me fizeram acompanhar de perto quando meus clientes e amigos falam sobre como foram criados, pois somos o espelho de nossos pais, das atitudes deles. Eu aprendi com meu pai a poupar, mas não a investir. E aprendi também que a falta de conhecimento nos causa medo, e o medo nos paralisa, não nos deixa ir a novos patamares.

O livro ‘Mente Milionária’, tem uma vasta gama de informações, que quando li caíram sobre minha cabeça e assim pude entender o fato de que se na infância não recebemos educação financeira, chegamos a fase adulta sem saber administrar nosso dinheiro.

Você percebe o quão importante é orientar nossos filhos sobre este assunto? Conversar com eles sobre planejamento financeiro familiar é primordial para desenvolvermos consciência financeira nas crianças que se tornarão adultos responsáveis.

 

Para isso é preciso utilizar da comunicação empática e assertiva, de forma simples e amorosa para que eles compreendam a necessidade de saber esperar, para possam entender o real valor do dinheiro em nossas vidas.

Receba nossas atualizações, participe do nosso Canal no Telegram

Gostou?

Curta, comente e compartilhe!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Rolar para cima